A Podiatria no Congresso da SOBRATAFE

Está ocorrendo em São Paulo, nesses dias, o III Congresso de tratamento avançado de feridas – da Sociedade que leva esse nome.

Amanhã,  juntamente com a minha colega Cristina Carvalho, faremos uma mesa sobre “A Podiatria como estratégia de prevenção”, com foco no atendimento aos diabéticos.   Minha palestra será  sobre  “Terapia fotodinâmica para manejo de feridas e onicomicose”. 

A podiatria clínica é uma especialidade de enfermagem que cresce a cada dia no Brasil. Nosso instituto tem se esmerado em desevolver outros enfermeiros por meio de seus cursos de capacitação e aperfeiçoamento na área. Esse crescimento se dá não apenas pela oportunidade e facilidade para empreender, mas especialmente, do ponto de vista de saúde, pela sua importância para o tratamento clínico das distrofias das unhas e as alterações da pele, entre outros problemas relevantes, de pés com maiores complexidades como  os das pessoas com diabetes, doenças circulatórias e idosas.

A onicomicose (fungos nas unhas) é um afecção que acomete inúmeras pessoas e é de difícil tratamento, em função das dificuldades em se mudar o ambiente que favorece o crescimento dos fungos: calor, umidade e falta de luminosidade, a saber, escuro, dentro dos calçados. Acomete qualquer pessoa,  especialmente quando as defesas estão em baixa.

Como um ser vivo, precisa alimentar-se, e usa a própria unha como seu alimento.  Em função disso, as unhas ficam descoladas (onicólise), de aparência ruim, manchadas, as vezes decompondo-se e com odor desagradável.

O tratamento é um grande desafio devido a esse ambiente favoravel ao fungo.  É preciso uma série de cuidados podiátricos que envolvem:  higiene, desbastamento e remoção da parte da lâmina comprometida e aplicação de substâncias tópicas antifúngicas. Além de cuidados com os calçados, meias e o próprio banheiro.

Dicas que  ajudam a  equilibrae o pH e melhorar a defesa da pele  

– Higienizar os pés sempre com sabonete acidificado – http://www.bycorpus.com.br
–  Deixar os pés de molho com água com vinagre, pelo menos uma vez por semana por 5 a 10 minutos  (para cada litro duas colheres de sopa de vinagre de maçã).
                                                               

Aqueles que têm condições sistêmicas, os médicos podem prescrever medicamentos oral, de modo cauteloso devido aos riscos de toxicidade hepática.  Outros indicam drogas tópicas, como esmaltes. Entre as possibilidades, e sem efeitos adversos, está a aplicação terapia fotodinâmica (TFD) com o uso de LASER ou LED, que somente pode  ser realizada por profissionais com formação para isso, como os enfermeiros atuantes na podiatria (especialistas em podiatria,  estomaterapia ou dermatologia  ou aqueles capacitados, aperfeiçoados ou habilitados). Alguns  podologistas e podólogos também realizam os mesmos procedimentos.

A TFD é um tratamento efeitvo, mas paulatino, com muito mais vantagens que desvantagens. Ao meu ver e experiência, o principal fator negativo é estético (o corante azul),  com o qual 99% das pessoas que buscam esse tratamento em nosso serviço, não dão qualquer importância. Sendo persistente com o tratamento e “hostil” com os fungos, no sentido que dificultar as coisas para eles, a saúde da unha pode ser restaurada e auto-estima devolvida.

A TFD também é uma grande aliada no manejo de feridas, para combater a  microbiota presente no leito, um fator que compromete sensivelmente a reparação tecidual.

Ressalto que, tanto para um quanto para outro, existem protocolos corretos de aplicação, e sobre isso falaremos no congresso.

Agradeço a comissão organizadora do evento pelo convite.

Dra Beatriz Yamada
Estomaterapeuta

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer participar da discussão?
Fique à vontade para colaborar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *